quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Poesia concreta






Poesia concreta, o titulo duma exposição de artes plasticas que realizei em Janeiro de 2006

domingo, 26 de setembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Ritual afiado

Este habito peculiar de afiar a faca todos os dias pela mesma hora chamou a atenção dos colegas de trabalho.
-Essa faca vai acabar por ficar bem afiada
-Já está bem afiada
-Mas o que queres tu cortar com isso
-Nada de especial
-Então não precisas dela tão afiada pá
-Preciso sim
-Para descascares fruta? Ainda te cortas com isso
-Não se preocupem que eu cá sei
Ele não se queria alongar sobre o assunto, mas volta e meia a vizinhança voltava á carga. O ritual, cada dia mais formalizado levava a todo o género de comentários e de especulações.
-O que fará ele com aquela faca?
-O gajo é um pacato do caraças, não é de brigas nem desacatos, muito menos homem de faca...
-Tambem aquilo nem é faca nem nada, um canivete pequeno, nem dá jeito para cortar nada.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Esperança

-Estou sem esperança disse ele com ar triste
-Tambem as coisas não estão assim tão más pá, esta crise até está a ser suave e dizem que está controlada
-Estou sem a Esperança...
-Anima-te pá
-A Esperança pôs-me os cornos e fugiu com outro

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Porcelana

-Olha este tabuleiro tão giro, é em porcelana... e vai ao forno!
-Vai ao forno? Mas vai mesmo ao forno?
-Vai vai
-Interessava-me mais se pudesse ir por mim ao supermercado e soubesse escolher os melões.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Ouvir no café

Falava-se de Vasco Graça Moura

-Cruzei-me com ele uma vez
-Com quem?
-Vasco Graça Moura
-Ah é?
-Muito perfumado, um pivete... bem o perfume era bom, caro com certeza , mas era demais percebes
-Pois quando é demais é demais
-Fomos os três no elevador
-Quem? Tu o Graça Moura e o perfume
-Não! ia outro gajo comigo... Bem aquilo não se aguentava... Devia ter acabado do pôr... Se calhar usou a técnica da nuvem
-Da nuvem?
-Vaporizas uma nuvem no ar e passas atraves enquanto ela vai caindo
- Caraças isso deve ser meia fortuna de cada vez, mas a ideia é bonita pá, assim um bocado romântica...

As coisas que se ouvem no café

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Obrigado senhor guarda

O guarda chegou e rapidamente acabou com o desacato para alivio de t odos

- Obrigado Sr Guarda!
- De nada, sempre às desordens

domingo, 19 de setembro de 2010

Lit.Algarve

Guia Algarve Shopping-Fórum FNAC - Sábado 18.09.2010, 15 horas
Concurso de dramatização de poemas

Ondina Santos a vencedora do concurso lendo um poema da sua autoria

video

sábado, 18 de setembro de 2010

...o fio da navalha

Dia após dia ele fazia a mesma coisa, puxava da lixa fina, enrolava-a à volta do cabo do martelo ou da lima, e começava a afiar a faca, molhava a lixa dum pouco de saliva na ponta do dedo passado como uma caricia, e deslizava a lamina ora para a direita ora para a esquerda até obter na borda aquele brilho letal das espadas de samurai e o fio da navalha invisível de tão fino, de tão fio. Então, puxava para cima a perna da calça e logo acima da meia rapava alguns pêlos da perna, abrindo mais uma pequena clareira de brancura, conferindo a eficácia do corte. Acenava satisfeito enquanto sacudia os pêlos cortados, dobrava a faca e devolvia-a ao bolso.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

...de cortar á faca

Todos os dias, depois do almoço, uns trinta minutos depois de terminar a refeição, ele pegava na sua faca de bolso, um canivete vulgar, e, puxando dum pedaço de lixa fina, afiava-a com o maior cuidado até ao ponto dela cortar como uma navalha de barbear.

Pagar respeito


Fui hoje à praia pagar respeito à sinalização de alerta nas praias. Sim sim, pagar respeito, e digo mais, nunca mais lá vou, ficou-me bem caro, paguei 1 Euro por uma bica . Os ricos que paguem os respeitos e tudo o resto.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Patriotismo

Um belo exemplo de patriotismo galináceo, o amor a pôr...

Frases feitas

Ele só fazia frases feitas, passava dias nisso, com o maior empenho e atenção para não se enganar.

As frases já eram feitas, ele voltava a fazê-las, elas ficavam refeitas. De certo modo também as pessoas para quem ele as fazia ficavam refeitas do seu desgosto ao ver as frases feitas a seu gosto nas campas dos falecidos queridos.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Anda por aí uma grande confusão entre a cultura e a arte.
Cultura é tudo o que é usos e costumes qualquer que seja a sua natureza, tudo o que é referência na história e na vida quotidiana dum povo
Arte é tudo o que tende a modificar a cultura, a romper com os canones establecidos, abrir novos caminhos.
Quando a arte é absorvida pela cultura (geralmente depois da morte do artista), mastigada engolida e digerida, quando se torna numa referência mémètica nos médias e nas mentes, então passa a ser cultura e afasta-se do seu autor.

terça-feira, 7 de setembro de 2010